O que é Inadimplência?

No artigo a seguir explicaremos o que é a inadimplência, quais as consequências e porque tantos brasileiros se encontram endividados atualmente.

Inadimplencia

De acordo com uma pesquisa realizada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), no Brasil, o endividamento subiu tanto entre os mais ricos, quanto entre os mais pobres.
Para a faixa de até dez salários mínimos, as famílias com contas a vencer superaram a média brasileira e atingiram 77,8% e apesar dos números estarem cada vez mais alto, muitas pessoas ainda não sabem o que é a inadimplência.

Já entre os que têm renda acima dos dez salários mínimos, a inadimplência foi de 72,2%. Apesar de ser menor que o nível médio nacional, o indicador representa o maior do patamar histórico.
Na passagem de março para abril de 2022, o número de inadimplentes cresceu 5%, na base dos dados compilados pela Boa Vista, empresa que administra dados que reúnem informações comerciais e cadastrais de mais de 130 milhões de empresas e consumidores com abrangência nacional.
Especialistas afirmam que alta dos juros, encarecimento do crédito e a inflação são os principais responsáveis pelo novo crescimento do endividamento desenfreado no país.

Afinal de contas, o que é a Inadimplência?

A inadimplência é a falta de pagamento de uma dívida. Assim, o consumidor inadimplente é aquele que possui uma dívida em aberto em seu nome.
Também é possível estar inadimplente sem ter o nome registrado nos principais birôs de crédito.
Normalmente, as empresas para quem deve realizar o pagamento esperam alguns dias para comunicar os birôs sobre o atraso do pagamento dos clientes, tentando acordos antes da negativação e Protesto.

Quais as diferenças entre dívida e inadimplência?

Uma dívida é diferente de estar inadimplente. Compras parceladas, como um carro, são dívidas e deverão ser pagas em algum momento, mas ainda são parcelas em aberto que ainda devem ser pagas.
A inadimplência acontece quando alguma dívida não é paga em um prazo pré-estabelecido, e com isso, pode deixar um cliente inadimplente.

Perfil do consumidor inadimplente

Um estudo da Serasa Experian mostra o perfil atualizado do inadimplente brasileiro:

  • Os homens são maioria, com 50,9% dos inadimplentes;
  • As pessoas que ganham de 1 a 2 salários mínimos é a mais atingida (39,1%), seguida dos que ganham até 1 salário mínimo (38,8%);
  • A maioria dos inadimplentes possui apenas uma dívida (37,3%). Mas 30,7% dos consumidores negativados possuem quatro dívidas ou mais;
  • 19,4% dos inadimplentes têm idade entre 41 e 50 anos. Em segundo no ranking estão os jovens de 18 a 25 anos (14,9% do total).

Consequências para um inadimplente

De forma resumida, quando uma dívida não é quitada credor pode protestar o devedor que fica impossibilitado de ter alguns créditos, regularizar e financiar imóveis e até se inscrever em concursos públicos.
Um título protestado é enviado para os órgãos de proteção ao crédito (SPC, SERASA, Boa Vista) e a dívida é tornada pública.
Dessa forma, outras empresas não concedem créditos ao devedor devido sua reputação.
Nesse cenário, é importante que o cliente inadimplente tente priorizar as dívidas mais problemáticas e quitá-las o mais rápido possível.

Como deixar de ser um inadimplente?

Listamos abaixo alguns passos fundamentais para que seja possível quitar as dívidas e deixar de ser um inadimplente, recuperando os créditos com o mercado.

  • Liste as contas que é necessário quitar e priorize as que são essenciais (como contas de água e luz), e depois as mais fáceis de negociar.
  • Considerando as despesas que você já possui, separe um valor que seja possível utilizar para quitar as pendências.
  • Ao fechar um acordo, não conte com um orçamento incerto. É importante cumprir os prazos até o final para se livrar completamente das dívidas. As dívidas costumam desaparecer das listas dos birôs de créditos após o pagamento da primeira parcela (caso tenha sido parcelada), mas caso as próximas não sejam pagas, o nome volta a aparecer.
  • Não assuma novas dívidas. Compre o que for necessário para que não aconteça o desastre financeiro novamente. Planejamento é tudo!

Para saber mais, acesse nosso site.
Quer ver mais artigos como esse? Acompanhe nosso blog e fique ligado nas notícias e novidades!
Gostou? Compartilhe nosso conteúdo com seus amigos e nas suas redes sociais.

Escrito por

especialista em marketing, fã de taylor swift, apaixonada por futebol e basquete e leitora viciada em livros de suspense e investigação.

Deixe seu comentário

Talvez você goste também